segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

Saudade, apenas saudade...


* PRESENÇA...

É preciso que a saudade desenhe tuas linhas perfeitas, teu perfil exato e que, apenas, levemente, o vento das horas ponha um frêmito em teus cabelos...

É preciso que a tua ausência trescale
sutilmente, no ar, a trevo machucado,
as folhas de alecrim desde há muito guardadas não se sabe por quem nalgum móvel antigo...

Mas é preciso, também, que seja como abrir uma janela
e respirar-te, azul e luminosa, no ar.
É preciso a saudade para eu sentir
como sinto - em mim - a presença misteriosa da vida...

Mas quando surges és tão outra e múltipla e imprevista
que nunca te pareces com o teu retrato...
E eu tenho de fechar meus olhos para ver-te.

(Mario Quintana)

4 comentários:

Marcos Miorinni disse...

Saudade é solidão acompanhada,
é quando o amor ainda não foi embora,
mas o amado já... Pablo Neruda
Abraços
Marcos

Daniel Savio disse...

Tem motivo para esta saudade tão belamente descrita pelo Mario Quintana?

Fica com Deus, menina.
Um abraço.

By Mari Molina disse...

Ah, que lindo!!!
Beijos

Brisa disse...

Adoooro Mário Quintana!!! E foi,através desta bela poesia sobre a saudade que descobri seu blog.
Ameeeiiii!!!
Bjs da Cris